Textos

Dádivas

Desejo oferecer uma dádiva a cada coração do mundo. Desejo deixar uma marca indelével que seja referência eternamente, que ultrapasse a vida veemente.

Nos corações inocentes, quero debruçar-me num beijo suave. Que eles consigam atravessar o tempo mantendo este doce sentimento.

Para os corações assustados quero acender uma luz, e mostrar que tudo o que existe na escuridão é exatamente o que existe em plena claridade.

Diante do coração sincero colocarei um espelho, para que ele receba o tempo todo aquilo que dá aos outros.

Em torno dos corações apaixonados passarei um fio e farei um laço, ou melhor, um nó bem apertado.

Aos corações que sofrem, darei uma pequena estrela. Pequena mas muito brilhante. Uma pequena estrela de brilho gigante, a que chamamos alento.

Para o coração cansado dou uma poltrona confortável. Tiro-lhe os sapatos, esfrego os dedos dos pés, coloco-os sobre um apoio, trago os jornais, um chá e pra terminar, uma massagem no ombro pra relaxar.

Ao coração inconstante entrego a ponta de uma corda, comprida, do comprimento da vida. E do outro lado atado, um único objetivo nobre e altruísta. Pelo menos terá valido a sua vida.

Para o coração perdido eu dou a mão, e caminho ao seu lado por um tempo, pra que ele perceba que independente de não saber onde, o importante é continuar indo.

Para o coração indiferente eu dou de presente um passeio. O roteiro...
....um canil público, um asilo, uma queimada na mata, um orfanato, um derramamento de óleo, um campo de refugiados...

Para o coração adoecido dou uma folha de bálsamo, suculenta e encantada, pra usar pedacinhos pequenos de hora em hora até o dodói sarar.

Para o coração egoísta eu dou espaço, ou melhor distância, até não poder mais ouvir sua voz de tão longe.

O coração solitário coloco no meio de uma multidão de corações, incluindo o meu, e lhe damos um abraço de equipe, bem espremido, todos juntos e pulsando, para quase matá-lo sufocado de tanto carinho.

Para o coração feliz construirei um palco, pra ele fazer o espetáculo. Vai dançar e cantar, e nós vamos aplaudi-lo.

Para o coração rancoroso darei um livrinho até bem fácil de ler. Seu título é perdão e nele estão os relatos reais, dos erros de nós todos, incluindo os dele.

Para o coração miserável eu dou meu prato, com a comida é claro, as balas e chocolates escondidos nos bolsos e gavetas. Dou também minha malha, o sapato, a calça e ficarei muito contente e pelada. E serei logicamente detida por ato obsceno. Mas quando ficarem curiosos em saber se sou somente louca ou coisa pior, talvez alguns sejam capazes de perceber que cidadania é muito mais uma necessidade prática do que idéias que morrem na teoria.

E finalmente para o seu coração em especial...espere um pouco...

Eu já distribui tantas dádivas que enfiando a mão aqui no meu saco, parece que...
Bem... [...risinho amarelo...]

Para o seu coração, parece que só restou o meu próprio coração a doar, e espero que sirva, que seja o seu número.
 
Fique com ele, com todo o meu amor e carinho, pode levar.
Carmem L Marcos
Enviado por Carmem L Marcos em 07/02/2012
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (citar: autoria de Maria Eugênia - www.mariaeugenia.prosaeverso.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários